GOIÁS

Força-tarefa deflagra 2ª fase de operação contra roubo de cargas em Goiás, mais 4 estados e no DF

Força-tarefa deflagra 2ª fase de operação contra roubo de cargas em Goiás, mais 4 estados e no DF

Uma força-tarefa das polícias Federal, Rodoviária Federal e Militar realiza na manhã desta quinta-feira (10) a segunda fase de uma operação contra roubo de cargas em Goiás, no Distrito Federal e em mais quatro estados. Segundo as investigações, o prejuízo causado até o momento gira em torno de R$ 30 milhões.

São cumpridos 91 mandados judicias, sendo 40 de prisão. Ao todo, 450 policiais atuam em cidades de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e no DF. As cidades onde ocorrem os trabalhos são: Goiânia, Anápolis, Guapó, Luziânia, Piracanjuba, Trindade (GO); Brasília (DF); Ponte do Araguaia (MT); Araguari (MG); Mandaguari (PR); Itajaí (SC).

Entre os já detidos, está uma suplente de vereadora de Buritis (MG). Conforme as investigações, ela usava documentos de identidade falsos com o intuito de lavar dinheiro para o grupo criminoso. Apesar de não declarar nenhum bem, segundo a polícia, ela tinha uma vida de luxo.

Outro preso é o dono de um supermercado no Conjunto Riviera, em Goiânia. A operação apontou que ele era receptador de cargas roubadas, as quais eram revendidas em seu estabelecimento. Na residência dele foram encontrados quatro veículos de luxo.

 

Força-tarefa deflagra 2ª fase de operação contra roubo de cargas em 5 estados e no DF (Foto: Divulgação/PF)

Denominada Hicsos II, a ação desta manhã é um desdobramento da operação Hicsos, realizada em fevereiro deste ano e que prendeu, na época, 30 pessoas.

Segundo a PF, o foco desta fase é um grupo de empresários e agentes políticos que davam suporte financeiro ao roubo de cargas em vários municípios brasileiros.

A polícia acredita que um dos envolvidos está foragido na Inglaterra. Por isso, será solicitado auxílio das autoridades britânicas e da Interpol para encontrá-lo.

Os envolvidos responderão pelos crimes de roubo qualificado, cárcere privado, lavagem de dinheiro, organização criminosa, tráfico de drogas e receptação.

Uma coletiva deve ser realizada nesta quinta-feira para dar mais detalhes sobre a operação.

Segundo a PRF, a vítima relatou que foi rendida pelo assaltante enquanto passava por Abadiânia, que fica a 36 km de Anápolis. Conforme o relato, o jovem e um comparsa pararam o veículo, e o suspeito seguiu com o caminhoneiro enquanto o outro fugiu em um carro.

Operação conta com o trabalho de 450 policiais (Foto: Divulgação/PF)

Primeira fase

A primeira fase da operação foi realizada no último dia 22 de fevereiro. Na ocasião, foram expedidos 82 mandados judiciais, sendo 37 de prisão preventiva, 14 de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento, e 31 de busca e apreensão. Os alvos foram as cidades de Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Trindade, Bela Vista, Leopoldo de Bulhões, Alexânia, Morrinhos, Campos Belos, além do Distrito Federal.

Também foram apreendidos 15 veículos roubados e 15 armas de fogo, além de recuperadas cargas roubadas avaliadas em mais de R$ 500 mil.

Segundo a força-tarefa, donos de supermercado, distribuidoras de alimentos e bebidas e até postos de combustíveis pagavam 50% do valor da carga para os criminosos. Após receberem a mercadoria, revendiam os produtos de origem ilegal.

“O dinheiro que era conseguido pelas quadrilhas era usado para cometer outros crimes. A quadrilha também atuava no tráfico de drogas e roubos de carros. Então, desmanchando essa quadrilha agora, também atingimos outros tipos de crimes”, disse na época o superintendente da Polícia Federal, Humberto Ramos.

Ainda segundo a Polícia Federal, esses criminosos agiam de duas a três vezes por semana. “Eles não tinham outra profissão, era só essa de crimes mesmo. Então, eles roubavam para eles, roubavam para as quadrilhas, agiam com uma grande frequência”, disse o superintendente.

Os criminosos chegavam a fazer falsas barreiras policiais, usando coletes de fiscalização e veículos equipados com sirene e giroflex. Eles paravam os caminhões e, caso se interessassem pela carga, anunciavam o assalto. Segundo o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Álvaro Resende, os crimes aconteciam principalmente na região de Anápolis.

Fonte: G1

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GOIÁS

Mais em GOIÁS

Carteira de motorista digital começa a valer em Goiás

Johnnathan11 de outubro de 2017

Confira o que abre e o que fecha em Goiás no feriado de Nossa Senhora Aparecida

Johnnathan11 de outubro de 2017

Mototaxista orienta trânsito após semáforos pararem de funcionar em Goiânia

Johnnathan10 de outubro de 2017

Dia das Crianças tem diversão em clubes, zoológico e teatros em Goiás; veja roteiro

Johnnathan10 de outubro de 2017

IFG abre inscrições do processo seletivo para 1.260 vagas em cursos técnicos integrados ao ensino médio

Johnnathan4 de outubro de 2017

Incêndio em subestação da Celg deixa Luziânia e Cristalina sem energia

Johnnathan3 de outubro de 2017

Golpe de cassetete dado por PM atingiu estudante a mais de 108 km/h durante protesto, diz laudo

Johnnathan3 de outubro de 2017

Governo de Goiás: documentos e processos a partir de agora só digital

Johnnathan2 de outubro de 2017

Fotossensores começam a multar na Avenida Universitária, em Goiânia

Johnnathan2 de outubro de 2017
Rede Metrópole de Comunicação
Rua T55 esq. rua 9
Qd.: G21 Lt.: 01
CEP: 74150-320
Fone: (62) 3215-9670
Email: comercial@metropolenews.tv.br
agosto 2017
D S T Q Q S S
« jul   set »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Parceiros

Parceiros

Copyright © 2017 Metropole News.